Como Contratar um Fotógrafo Sem Ser Enganado

0

Quase todos nós teremos pelo menos algumas ocasiões na vida em que iremos precisar contratar um fotógrafo profissional; pelo menos em casamentos, em baptizados, em festas de aniversário, formaturas, books, sessões fotográficas ou serviços de fotografia diversos para fins comerciais, entre muitos outros. No entanto a ampla oferta de serviços e profissionais nesta área leva a maioria das pessoas, inexperientes e pouco conhecedoras do mercado fotográfico, a ficarem sempre com enormes duvidas sobre qual o melhor fotógrafo e qual contratar. A maioria dos fotógrafos são pessoas sérias que levam a profissão muito a sério e querem prestar o melhor serviço possível quando contratados, sabendo que isso será sempre o seu cartão de visita para futuros trabalhos, no entanto sendo uma profissão de livre e fácil acesso e pouco ou nada regulamentada, há alguns profissionais menos sérios e muita gente que não sendo profissional na área apenas pretende ganhar dinheiro extra. Eis um pequeno numero de factores que podem ajudar e dar algumas luzes na hora em que precisar contratar um fotógrafo.

fotografo 01
PORTFOLIO – Antes de contratar um fotografo profissional, a melhor coisa que tem a fazer é ver o portfolio de trabalhos que este apresenta no seu website, veja sobretudo se o tipo de trabalho é adequado ao que pretende. Um bom fotografo de moda pode não ser bom a fotografar casamentos, tal como um bom fotografo de casamentos pode ser um mau fotografo noutras áreas. Fotógrafos bons em todas as áreas não há muitos, até porque a maioria tem sempre experiência em áreas especificas.

PERSONALIDADE – A contratação de um fotografo implica que deve pelo menos falar com o fotografo por conversa telefónica, através de skype, ou então um encontro pessoal. Veja que tipo de pessoa se trata e se se enquadra no que pretende. Há fotógrafos demasiado intrusivos e muito pouco discretos, que se tornam mesmo chatos pois querem fotografias a todo o instante e gritam para chamar a atenção, além de que fotografam tudo e mais alguma coisa. Há outros que fazem o trabalho de uma forma discreta e tentam ao máximo passar despercebidos. Parece-me que a primeira opção deve ser evitada a todo o custo sobretudo em trabalhos como casamentos ou outros serviços de reportagem por exemplo a nível mais corporativo, pois o que se requer é um fotografo discreto e que seja cirúrgico a fotografar, ou seja fotografe o que é essencial e necessário.

PREÇOS – Hoje em dia há preços para todos os gostos e para todas as carteiras. No entanto lembre-se sempre de uma coisa: Dificilmente irá encontrar qualidade a baixo preço, nem se fazem milagres com baixos orçamentos. Se tem dois fotógrafos que pedem preços muito distintos tente perceber o porquê dessa diferença, certamente terá a ver com a qualidade e experiência do fotógrafo, com o equipamento usado, com a edição e tratamento das imagens ou com outros factores. Se quiser garantia de qualidade tem que saber que terá de pagar um preço por essa qualidade. Não se esqueça que há momentos que não se repetem e por isso não arrisque na hora de decidir, pois pode sair-lhe cara a opção.

PROFISSIONAL OU CURIOSO – Um dos factores mais importantes se quer ter qualidade no seu trabalho de nível profissional é perceber se quem está a contratar é mesmo fotografo profissional ou se é apenas alguém que tem como passatempo fazer fotografia e usa esse passatempo para ganhar algum dinheiro ao fim de semana e nos tempos livres. Como já disse anteriormente a profissão é hoje em dia de fácil acesso e não esta regulamentada pelo que há muita gente a dizer-se fotografo e que através de preços muito baixos conseguem serviços apenas para ganhar facilmente algum dinheiro.

CAMARAS E LENTES QUE USA – O equipamento que o fotografo influencia sempre o orçamento e também a qualidade final do trabalho. Há camaras e lentes de alta gama, de média e de baixa gama. O equipamento não é a única coisa que influencia a qualidade do serviço fotografico, mais importante que isso é a experiência do fotografo e a qualidade do seu trabalho, no entanto o equipamento faz a diferença sobretudo em trabalhos de reportagem onde se fazem imagens em grande quantidade e onde não se podem falhar momentos chave, tal como em casamentos ou baptizados ou fotojornalismo.

fotografo 02
EDIÇÃO E TRATAMENTO DE IMAGENS
– Tratar imagens não é aplicar filtros, tratar imagens é sobretudo preparar as imagens com uma aproximação o mais possível à realidade. Se quer ter imagens o mais aproximadas à realidade tente perceber que tipo de edição faz o fotografo que vai contratar e de que forma ele lhe irá entregar as fotografias, se vai entregar as imagens em alta resolução, com ou sem marca de agua, se vai entregar em bruto sem tratamento, se vai entregar com algum tratamento mais realista ou se vai fazer aplicação de filtros. Lembre-se que as imagens que lhe forem entregues, se por exemplo estiverem a preto e branco nunca as poderá mais tarde ter a cores. Já se lhe forem entregues a cores poderá sempre mais tarde alterá-las para preto e branco.

CONTRATOS – Quando fizer um contrato para prestação de serviços com um fotografo é normal que este lhe dê um contrato que deve ser assinado entre ambos. Nesse contrato constam diversos tópicos que podem ir desde a cedência de direitos de imagem, horários e localizações de locais onde o serviço será prestado, prazos de entrega, preços, formas e prazos de pagamentos, suportes, formatos e dimensões em que as fotografias são entregues, entre muitos outros tópicos. Deve por isso ler sempre o contrato antes de o assinar e perguntar qualquer duvida ou referir qualquer ponto com o qual não concorde.

CEDÊNCIA DE IMAGENS – Convém sempre perguntar ao fotógrafo se as imagens posteriormente vão ser cedidas em alta ou em baixa resolução, com ou sem marcas de água, e se a sua utilização e cedência é temporal ou vitalícia. Se pretende publicar as imagens em algum orgão de comunicação convém referir ao fotografo pois terá que combinar valores e prazos para os direitos autorais de publicação.

EQUIPAMENTO DIVERSO – Como disse anteriormente, fotógrafos em que os valores sejam mais baixos podem por exemplo ter apenas uma camara fotográfica e uma lente, correndo sempre o risco de por exemplo num casamento se houver uma varia ficar sem os serviços do profissional. Um fotografo que seja profissional anda sempre com duas camaras para alguma eventualidade, por isso os riscos de uma avaria nunca vão comprometer o trabalho. Também em algumas áreas como fotografia de moda são necessários equipamentos extra como reflectores de iluminação diversos, alem de trabalho de assistentes e maquilhadora/cabeleireiro e produtor.

PONTUALIDADE – Alguém que não seja pontual dificilmente poderá exercer a profissão de fotografo, se chegar atrasado a algum evento pode comprometer todo o trabalho, quando contratar um fotografo indique-lhe a hora de previsão de inicio e finalização do evento e peça-lhe que esteja pelo menos 20 minutos antes no local. Isso será bom para que ele entenda o que se vai passar, veja a iluminação do local, se ambiente ao espaço e tenha tempo de preparar o equipamento.

email
Share.

Leave A Reply